O Ministério da Saúde promoveu nesta sexta-feira (26) a Oficina de Implementação da Rede de Atenção Materna e Infantil (RAMI), no Auditório do Hemoce, em Fortaleza. A mesa de abertura foi composta pelo secretário da Secretaria de Atenção Primária à Saúde (SAPS), Raphael Câmara; da diretora do Departamento de Saúde Materno Infantil da SAPS, Lana Aguiar; do secretário da saúde do Ceará, Carlos Hilton; da presidente COSEMS, Sayonara Cidade e da secretária da saúde de Fortaleza, Ana Estela.

Acesse a galeria completa aqui

O encontro trouxe como pauta a habilitação dos serviços da RAMI no estado. O debate visou elucidar para o Ministério da Saúde a realidade dos municípios cearenses na saúde materna e infantil, e, em contrapartida, apresentar para os gestores e autoridades presentes as características da rede, como critérios de elegibilidade, fluxogramas das redes e proposta orçamentária.

A presidente do COSEMS-CE, Sayonara Cidade, reforçou em sua fala a necessidade de fortalecer todos os pontos da rede. “Para trabalharmos com as dificuldades que fazem parte da saúde materna e infantil, é muito importante a proposta de orçamento, mas também é muito importante o processo de organização das regiões de saúde para o atendimento e a atenção com as gestantes”, pontuou a presidente.

Descrevendo a realidade da capital, a secretária de saúde de Fortaleza, Ana Stela destacou a importância de investimentos na área para garantir os cuidados às mães e para os bebês. “Precisamos discutir e fortalecer áreas de vazios assistenciais pois isso garantirá assistência adequada. O recém-nascido será bem assistido se nascer em local onde o risco do parto seja minimizado. Se a gestante de alto risco não chegar a uma maternidade de alto risco no momento do parto, o recém-nascido não será bem assistido. Queremos sempre realizar um pré-natal eficiente, até para melhorar nossos indicadores. Esperamos pela pactuação o mais rápido possível e que os recursos cheguem para nós secretários de saúde“, disse a secretária.

Após cumprimentar a mesa, o secretário Raphael Câmara parabenizou os municípios cearenses pelos resultados alcançados, destacando Reriutaba e Acaraú, municípios visitados pela equipe da SAPS, e destacou o trabalho da pasta, baseado na parceria com os estados e municípios para garantir a continuidade do processo da RAMI: “Nós estamos abertos a todos os municípios do Brasil. Nós rodamos as 27 unidades da federação por duas vezes, e muitos prefeitos e secretários foram recebidos em Brasília. Realizamos nesse período várias oficinas que foram elogiadas pelos municípios que performaram bem no Previne Brasil, por exemplo”, exaltou Raphael Câmara.

Em seguida, a epidemiologista da Coordenação de Saúde Perinatal e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Raquel Barbosa, apresentou um panorama dos índices do Ceará nesta área. A apresentação teve o objetivo de subsidiar a assessora técnica, Camila Baccin, na apresentação das propostas da RAMI, como os novos incentivos destinados às ações nos municípios. 

A secretária de Saúde de Morada Nova, Luciana Lima, presente na oficina, visualizou aspectos positivos, mas ressaltou que a capilaridade poderia dar um reforço no processo. “Como esse é um assunto que está sendo debatido agora, e estamos nos apropriando da temática, acredito que poderiam ter ocorridos mais debates locais, nos territórios dos estados e municípios. Porém, vi muitos pontos positivos, principalmente no que se refere ao suporte financeiro, equipamentos de saúde e outros pontos nessa área tão carente que é a RAMI”, finalizou a secretária. 


Assessoria de Comunicação do COSEMS/CE

Fernando Cruz / Mário Cabral / Pedro Luna
Telefone: (85) 3101.5444

Assessoria de Comunicação do COSEMS/CE

Fernando Cruz / Mário Cabral / Pedro Luna
Telefone: (85) 3101.5444